COVID19

EXMO SR. PREFEITO, DEPARTAMENTO JURÍDICO E DIRETORA DE SAÚDE DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE

SOLICITAÇÃO PARA A ADOÇÃO DO TRATAMENTO PREVENTIVO E PRECOCE AO CORONAVÍRUS EM SÃO ROQUE

Venho por meio deste, mais uma vez, solicitar os bons ofícios deste departamento, responsável pela redação dos decretos municipais, para que analisem, em caráter de urgência, a introdução dos protocolos de tratamento preventivo e precoce para o coronavírus, pensando nos grandes benefícios que a população mais carente poderá obter com tal procedimento, simples e de baixo custo, embora o mesmo necessite de logística e coordenação.

Sabemos que a ivermectina, assim como a hidroxicloroquina, não apresentam estudos randomizados duplo-cegos que atestem definitivamente seus resultados como antivirais, em especial no caso do coronavírus.

No entanto, já foram utilizados anteriormente como antivirais em outras infecções como zikavírus, com ótimos resultados. Além disso, apresentam resultados in vitro espetaculares e resultados preliminares in vivo muito otimistas para o covid-19.

Paralelamente, a experiência de várias Cidades, Estados e até países da Europa vem demonstrando excepcionais respostas ao civid-19 do ponto de vista estatístico e epidemiológico, reduzindo o número de casos, reduzindo a evolução dos casos para a forma grave da doença e impactando diretamente no esvaziamento dos sistemas de saúde, com menos internações e menos mortes.

Porto Feliz, Itajaí, Unaí, cidades do Piauí e muitas outras já adotaram o protocolo preventivo para o coronavírus e o tratamento precoce, distribuindo kits dos medicamentos.

Isso está impactando positivamente e profundamente na saúde da população, além de esvaziar os hospitais e as UTIs.

É uma mudança de paradigma necessária para superar a paralisia da quarentena, que nada resolve, e só piora a situação do empresário e do trabalhador, assim como da economia e da saúde geral da população de São Roque.

Com o tratamento instituído nestas localidades, as pessoas não estão mais evoluindo para a forma grave da doença e os leitos de internação estão sendo esvaziados.

Por este motivo, rogo por sua sensibilidade em compreender a vital importância deste tratamento para a população e o subsídio destas medicações, em especial para a população mais carente, através dos Postos de Saúde e Hospitais da região.

Também é muito importante que médicos e profissionais de saúde adotem um protocolo sistematizado de atendimento, prescrevam e orientem o uso destas medicações em tempo hábil para salvar vidas.

Segue o protocolo utilizado na maioria destas cidades para sua apreciação.

PROTOCOLO DO TRATAMENTO PRECOCE COM IVERMECTINA

AS DOSE FORAM OMITIDAS NESTE DOCUMENTO PÚBLICO, PARA NÃO SE INDUZIR À AUTO-MEDICAÇÃO

PROTOCOLO DE TRATAMENTO PRECOCE DE COVID-19
SINTOMAS DA FASE 1: tosse seca, dor de cabeça, dor nos olhos e no corpo, fraqueza e cansaço, anosmia e disgeusia, tontura, poliúria, manchas no corpo, febre, etc.

1) IVERMECTINA;
2) HIDROXICLOROQUINA;
3) AZITROMICINA;
4) ZINCO

AS DOSE FORAM OMITIDAS NESTE DOCUMENTO PÚBLICO, PARA NÃO SE INDUZIR À AUTO-MEDICAÇÃO

SINTOMAS DA FASE 2: febre muito alta, falta de ar
(ACRESCENTAR AOS MEDICAMENTOS ANTERIORES O QUE SEGUE ABAIXO)

1) DECADRON;
2) ENOXAPARINA.

AS DOSE FORAM OMITIDAS NESTE DOCUMENTO PÚBLICO, PARA NÃO SE INDUZIR À AUTO-MEDICAÇÃO

É de fundamental importância a realização de testes, para poder isolar e tratar preventivamente os contactantes.

Também é muito importante a realização de Tomografia de Tórax, para confirmar Covid-19 e a presença de microtrombose pulmonar, permitindo a introdução de decadron e enoxaparina com mais propriedade nestes pacientes.

Com a certeza de que tais condutas irão mudar o perfil da infecção em São Roque, permaneço à disposição para ajudar no que for preciso.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Evite a automedicação!

O assunto em torno nos medicamentos utilizados no covid-19 como prevenção e tratamento precoce ganharam grande expressão, sendo utilizados em diversos protocolos, inclusive como plano de governo de diversas localidades no combate ao coronavírus.

No entanto, lembramos que estes medicamentos que estão sendo utilizados em protocolos para o covid são de uso off label e sempre precisarão de prescrição médica.

No caso da prescrição de forma off label de medicações já aprovadas, ou seja, para fins outros que não os que constam em bula, os riscos e a ausência de evidências devem ser bem discutidas com o paciente, que deve consentir com a prescrição.

Além disso, não é aconselhado a automedicação em nenhuma hipótese, devendo o cidadão sempre buscar a orientação médica.

Nosso único objetivo é trazer a boa experiência de outras localidades e a boa informação que podem ajudar nas medidas preventivas e no controle da disseminação da doença.

Procure o seu médico sempre que houver dúvidas ou apareçam sintomas.

São Roque, 15 de julho de 2020.

Atenciosamente,

Dr. Mauricio Egydio
Médico